sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Qualquer semelhança é mera coincidência

Vou ser sincera: eu não uso produtos falsificados. Se eu não posso ter uma bolsa Louis Vuitton, prefiro comprar uma Victor Hugo, e se esta também não couber no meu bolso, compro uma bolsa da Arezzo ou da Corello, enfim, a que eu puder comprar. Mas nunca, nunquinha vou comprar uma Louis Vuitton falsificada, por mais que a cópia seja "parecidíssima" com a verdadeira.

Por outro lado, o que estamos vendo muito por aí são marcas brasileiras que se "inspiram" nas marcas gringas carésimas e criam peças com alguma (ou muita) referência das importadas.

A 284, por exemplo, já lançou vários produtos assim "parecidos" com aqueles das marcas bacanas, mas a roupa tem uma etiqueta que já avisa: I'm not the original.

E a Schutz que acabou de lançar bolsas incrivelmente inspiradas nas famosas bolsas Goyard. E eu não vejo problema nenhum nisso simplesmente porque na bolsa não está escrito Goyard e sim Schutz, o que faz toda a diferença porque assim ninguém engana ninguém, certo?

Não gosto desse negócio de querer parecer uma coisa que não é... isso sem falar na ilegalidade da pirataria.

Bom, tudo isso foi para contar que na coleção da Triton tem algumas peças "inspiradas" no Roberto Cavalli (!!!). Vejam só:

Essas são do Roberto Cavalli

Agora as correntes by Triton

E o vestidinho tomara-que-caia que eu comprei e vou usar muito nesse verão.

3 comentários:

  1. Esse vestidinho é uma graça viu!!!
    Beijim

    ResponderExcluir
  2. Eu também, prefiro não ter a ter um fake!
    Acho cafona, pq a maioria dos fakes fica na cara que é fake...

    ResponderExcluir
  3. Nossa Rê, além do nome também temos isso em comum: eu também sou contra pirataria e falsifações! Vc sabe que meu sonho é ter uma chanel, mas enquanto não posso fico com as inspirações, jamais compraria uma falsa!
    Quanto ao seu vestido, arrasou! Lindão!! Bjs! Ah! E parabéns pelo post!

    ResponderExcluir